Dedaleira (Lafoensia Pacari)


Nomes populares: dedaleira, pacari, louro-da-serra, copinho, dedal-cabacinha, dedal-cravo, etc.

Árvore nativa de 8 a 20 m de altura, com tronco cilíndrico, reto ou levemente tortuoso, tendo a casca externa cinzenta e rugosa com cicatrizes e sulcos longitudinais rasos. Suas folhas são simples, opostas, lisas, coriáceas, curto-pecioladas ou sésseis, de 8-15 cm de comprimento, brilhantes, providas de nervuras salientes na face inferior e com nervura marginal. As folhas apresentam uma glândula sub-apical.

Indicada como secundária inicial a secundária tardia. Ocorre principalmente de Minas Gerais até Mato Grosso do Sul e o Rio Grande do Sul. No Paraná ocorre na Floresta Ombrófila Mista e na Floresta Estacional, especialmente nas formações aluviais. Também pode ser encontrada no Cerrado (Savana). Apresenta boas características ornamentais e pode ser utilizada no paisagismo, principalmente na arborização urbana. Suas flores são melíferas.

A madeira é utilizada para obras externas e internas, marcenaria, tacos, cabos de ferramentas, mourões, construção civil e tabuado em geral. Utilizada pelos índios guaranis para a fabricação de flechas. A infusão das folhas do dedaleiro tem propriedades medicinais e é usada no tratamento de úlceras. Adequada para a recuperação de áreas degradadas e na recomposição da Reserva Legal(RL) e Áreas de Preservação Permanente(APP), em atendimento ao Novo Código Florestal Brasileiro.

Foto do Viveiro Camapuã

Viveiro Camapuã 2017 - Entre Rios de Minas - MG. Todos os direitos reservados